segunda-feira, 13 de abril de 2009

Feriado e mais uns detalhes



Dava pra fazer tudo: Estudar, ler, correr, malhar, lutar, sair, amigos, bebida, churrasco, viajar pra fazenda. E o tempo?
Quarta a noite ou quinta de manhã?

Quarta.
Muita conversa de canto de bar com direito a Rage Against the machine e Break on trought no fim da festa para relembrar os tempos de Tony Hawk Underground. Felicidade, dança estranha e parabéns pra um grande amigo sentado quase na porta do banheiro. Táxi na zona sul e mais conversa. Não foi na quarta.

Pronto, é Quinta-feira.
Aleluia, é hoje!

Corre, guilherme. Arruma mala, escolhe roupa, arruma a mala rápido se vira. Vira mágico.
Corre, sai de casa. (Quem sabe até dava tempo de escrever).
Casa do rapha. Espera, fica calmo, não se empolga não.
Rua Júlio de Castilhos; 438 ; não. 154; não(esse vai pra botafogo). 435; não ....... 126, pede amém a Deus.
Rodoviária. "Não tem mais lugar no ônibus de 16:30, senhor".Raiva. Bate o pé e aposta no de 18:30.

Estrada, engarrafamento, assistir Borat no lap top; Barra do Piraí. "Gente, vocês tem 5 minutos de parada". Esquece do tempo, come pão-de-queijo(sério?), corre atrás do ônibus indo embora na rua.

Conservatória, enfim.
Estrada de lama, "liga pro raphael pra saber onde ele tá". Lama e mais lama. "Te disse que era pra vir de bota". Anda mais até enxergar a porteira.
Fazenda, enfim.

Olha, é Sexta-feira.
Tiro de .38 ; acorda assustado. Acha legal e atira também. "Vamos pra cidade comprar carne e fazer um churrasco?". O cabelo tá grande e tá na hora de cortar. Não tem nada aberto no feriado. Cidade pequena é fogo. Carne, cerveja, pão-de-alho, sou careca, magro e como demais. "Guilherme, pára de comer!" . Cara de bunda, volta pra dentro da casa e fica vendo tv; filme chato. Come mais e bebe cachaça(vida na fazenda é sinônimo de cachaça artesanal).

Manda mensagem, recebe mensagem, liga pro Pedro, pro Pedroca, pra Laura, pra Lily,pra Mari(que saudades da minha grande amiga) pra mamãe e papai(que saudade da minha família), pra Amandinha, pra Deus e o mundo porque sente vontade e não tem frescura.

Sono. Dorme, vê globo, dorme, liga pro pai no trabalho pra saber o que ele tá fazendo. Saudades do meu pai.

Ih, é sábado e tá chegando o dia de ir embora.
Acorda tarde, toma banho, toma café, anda de carro. Raphael e Guilherme lembrando de como a infância fazendo besteira no colégio Nossa Senhora de Lourdes era mais legal que ter carteira de motorista e não ter que dar tanta satisfação pros pais.

Volta pra roça. Fala com Alexandre. "Que isso, a Bia cresceu muito!" (To ficando velho).
Entende que o tempo passa sim. O tempo passa mas eu não tô nele. Todo mundo vê mas ninguém percebe o relógio girando e o calendário virando. Que saudades da minha infância. Deixa o menino brincar! Nostalgia.

Noite, churrasco, bebida, pão-de-alho, mensagem, liga pra Amandinha(não consegue). Celular horrível.
Dor de cabeça, sono cama sonho frio edredon sol manhã despertador.

Putz... é domingo...
Acorda cedo, meio mau-humorado, não vai mais de carro, arruma a mala, almoça, dá até logo pro Adilson, se despede. Carona; Tia Bia e Tio Cadu; rodoviária, 16:30 Barra do Piraí. Muito sono. "Senhor, só há lugares disponíveis no ônibus de 19:10". Bate o pé, muita raiva, não acredito. Mau humor. Mensagem. Jogo do Flamengo, 1x0 mas foi linda a atuação, passa o tempo da melhor maneira. Liga pra Hayna(meu brother), fala fala fala marca teatro, reclama, não desmarca não. Tom e Vinícius.(Poeta da pesada do pagode e do perdão).
Liga pra Mari(caixa postal, tanta saudade).

19:10
Destino: Rio de Janeiro.
Apertado, funk no ônibus, folgado do meu lado, criança chorando no banco de trás e cachorro latindo na frente(filme de terror). Pouco engarrafamento(pelo menos isso).

Rodoviária Novo Rio. Carona. Mãe do Tiago.
Casa; meus pais dormindo, saudades, deixa eles dormirem porque amanhã tem que trabalhar cedo. Comida da mãe, amigos no msn, mensagens no orkut, fotos novas pra todo mundo ver. Lily no telefone ouvindo o que eu dizia saber, Lily me dizendo que o lábio fala mas não faz acontecer. Me mostrando um jeito mais sutil que o meu de tentar fazer acontecer. Meu cachorro, minha cama, meus poemas e minhas ansiedades. Meu som, meu quarto, meu pôster dos Simpsons, meu chão, meus amigos meus irmãos.

Feriado sensacional,
mas é aqui é minha casa.

Que saudade!

Um comentário:

Lia disse...

nossa!! transgrediu a rotina do blog..

gosto mais do eu-lírico habitual, mas valeu o relato do seu feriado!!