quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Amo porque amo, amo por amar



É bom
num azul e cristalino lago
mergulhar de olhos abertos
(sem medo algum),

e nunca deixar tombar o coração
à frente de qualquer mistério,
mesmo que dele se faça um desvario
(é preciso que o olhar aprenda a caminhar sozinho)


para ter sua vaidade de volta,
sua vontade de viver, seu sono
sua alegria,
deve-se ter tudo contado bem direito


Para amar como eu.
Pois amo porque amo,
amo por amar
(amo pois tenho guardado em mim, todos os sonhos do mundo)

2 comentários:

barbara disse...

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no elipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.[C.D.A.]

Gus disse...

Amar não é algo que você decide, que escolhe de uma hora para outra. Há enganos, não posso negar. Mas amar é a sensação inesperada de sentir um pedaço de você faltando, no momento em que a troca de olhares passa a ser uma troca de almas.
"mergulhar de olhos abertos", isso é amar... saltar em um lago sem saber a sua profundidade e o que há dentro dele.
Parabéns pelo belíssimo BLOG. Estarei vindo aqui diariamente!
Obrigado pelo comentário.
Um abraço,
Gus